quarta-feira, 27 de maio de 2015

ENTREGA

A tu, amiga,
daria as minhas mãos
e todas as suas carícias e artes
se a este preço pudesse tocar-te.

A tu, amiga,
entregaria meu coração,
seus anseios e paixões,
para te poder amar.

Dar-te-ia minha vigilância,
meus sonhos,
minha vida e minha morte,
minha infinitude e minha paz,

se me deixásseis,
corpo, alma, essência,
       viver em ti,

escravo, eternamente escravo.


quarta-feira, 20 de maio de 2015

VIDA ETERNA


De que me serve
a potente luz
que brilha como sóis,
do lado de lá da vida,
aqui neste escuro?

Dá-me uma fagulha e serei feliz
agora.


quarta-feira, 13 de maio de 2015

DOS CAÇADORES

Reizinho fascista, assassino de animais

Caçar palavras
para um poema
não é o mesmo
que caçar bichos
para um jantar exótico,
para troféu na parede
ou por vadiagem, afirmo.
Pelo menos para mim,
que adoro a primeira caça
e detesto a segunda,
por ser sacanagem.


domingo, 3 de maio de 2015

INSTANTÂNEO DA NOITE



Da sala me chega aos ouvidos 
um som de música.

O corpo de minha amiga repousa
n(u)o tapete.

Antes que mudem as cores
e o tempo,

entrego-me à luxúria,
entre o prazer e o medo do pecado.